Macacão Sapão

Worry not, fear not, enjoy a lot!

Preconceito Literário Brasileiro

Há um preconceito de brasileiros contra livros de autores brasileiros.  Já ouvi pessoas dizendo que evitam livros por autores brasileiros. Não sei exatamente o porquê desse preconceito, mas ele existe (assim como existe contra o cinema brasileiro, mas isso é assunto para outro post). Talvez ele exista por termos tido a obrigação de ler, durante a adolescência, livros na escola dos quais não gostamos, o que é amplamente comentado pela maioria dos brasileiros até hoje.

Lembro de, na 3ª série, ler livros que adorei e gosto até hoje! Destaque para as aventuras do Pedro Bandeira, principalmente a série Os Karas. Naquela época, ler era divertido, me envolvia e eu devorava os livros que a escola designava. Conforme fui avançando na escola, os livros mudaram e começaram a mandar que eu lesse Dom Casmurro, O Cortiço e outras obras famosas e importantes da literatura brasileira. O sentimento geral da turma para quanto a esses livros era de que eles eram chatos, tediosos, não só pelo português mais antigo ao qual não estávamos acostumados quanto às temáticas e técnicas narrativas diferentes que eram jogadas sobre nós de repente, quando tínhamos pouquíssimo tempo para estudá-las e compreendê-las.

Nada disso era culpa dos professores, que se desdobravam para tentar nos fazer entender o currículo que era imposto a eles, simplesmente não havia tempo hábil para ensinar, com o ritmo necessário (mais calmo), os movimentos literários e o que eles representavam.

Estudei literatura brasileira na faculdade, mais velho e com um semestre inteiro dedicado a matérias dedicadas a cada movimento. Assim pude entender não só quais os conceitos e ideias que, digamos, o romantismo possuía, mas também compreender o que eram esses movimentos, como eles representavam a sociedade da época e as insatisfações das pessoas e as mudanças que elas desejavam. Quando você entende “qual é” a de um movimento e como era o mundo ao redor do autor quando a obra foi feita, você entende mais a obra e os jogos com a linguagem dos quais ele se valeu.

Hoje, eu entendo melhor o motivo de Machado de Assis ser famoso, imortal (como diria a Lu ^^) e sua genialidade na sua escrita. Continuo não sendo muito fã da maioria de suas obras, mas agora sei que é só porque não bate com meu gosto pessoal, não porque não entendo ou me confundo.

Bom, me baseei na minha experiência literária na escola, onde os livros designados para serem lidos eram todos de autores brasileiros, especulo que, talvez se tivessem sido de autores de outros países também, esse preconceito pudesse ter sido redirecionado.

Enfim, quis apenas divagar aqui sobre preconceito literário brasileiro porque li uma aventura de fantasia de um autor brasileiro que gostei MUITO, e sei que há pessoas que procuram sua dose literária sempre nas sessões de “literatura estrangeira” muitas vezes sem nem perceber que não querem dar chance a autores brasileiros. Eu fui uma delas.

Nada disso quer dizer que você tenha que sair procurando autores brasileiros ou estudando movimentos literários, continue lendo o que você quer, o que você gosta, acima de tudo. ^^

Mais sobre preconceito literário aqui, nesse ótimo texto da Lorena Miyuki, que foi de onde peguei a imagem daí de cima também.

Advertisements

About Bruno Passos

Nerd, geek, brasiliense, amante de cachorros e cultura pop.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 27/12/2014 by in Livros and tagged , , .
%d bloggers like this: